10 de fevereiro de 2010

100 dias de António Costa

  • a casa continua por arrumar, sem reestruturação feita, nem orçamento para 2010 aprovado;
  • transito e estacionamento desordenados sem medidas que os corrijam;
  • mau estado do espaço público, nomeadamente, passeios esburacados, pilaretes a despropósito, sujidade, vidrões sem cuidado, jardins por cuidar, proliferação de grafittis;
  • desaceleração dos projectos de reabilitação urbana, 
  • falta de concretização das brigadas de intervenção rápida;
  • manutenção da situação de vazio, esquecimento e desvario da Baixa;
  • paralisia ou abrandamento de projectos como o MUDE, o túnel do Marquês, ou a recuperação de escolas (são só seis as obras em curso); 
  • abandono da Alta de Lisboa;
  • anúncio de medidas prejudiciais para a cidade como a Igreja do Restelo, a destruição do Jardim do Príncipe Real, o plano da Matinha, ou o Red Bull.

em síntese: apesar de não serem os primeiros 100 dias de António Costa, verifica-se uma evidente ausência de projectos que melhorem a cidade, uma gritante falta de liderança, de brilho, de amor à cidade e um enorme conjunto de trapalhadas e medidas injustificadas.

promete...

1 comentário:

Anónimo disse...

Bem que o AC se podia meter num dos aviões do Red Bull e saltar lá de cima (sem pára-quedas, devido a restrições orçamentais...)

ou ainda melhor, ir para o lugar do Sócrates...