30 de dezembro de 2011

Os Excluídos

Quem comete um erro é excluído; é fechado dentro de uma caixa. Quem está fora vê apenas a caixa. Mas quem está fechado, excluído, consegue ver cá para fora. Vê tudo, vê-nos a todos.
Em cada compartimento há dezenas de caixas. Milhares de caixas por todo o lado. A maior parte delas vazia. Outras têm lá dentro pessoas excluídas. Ninguém sabe quais as caixas que têm pessoas.
As caixas são tantas que ninguém lhes dá importância. Pode estar lá uma pessoa, até a que amas, mas nem olhas. Já não produzem efeito. Passas por elas centenas de vezes.

Gonçalo M. Tavares, in 'Jerusálem'

19 de dezembro de 2011

...


“Os portugueses vivem em permanente representação, tão obsessivo é neles o sentimento de fragilidade íntima inconsciente e a correspondente vontade de a compensar com o desejo de fazer boa figura, a título pessoal ou colectivo.”

“Em princípio, todo o português que sabe ler e escrever se acha apto para tudo, e o que é mais espantoso é que ninguém se espante com isso.”



Eduardo Lourenço
O Labirinto da Saudade, Gradiva, 2005

16 de dezembro de 2011

A verdade...

José António Barreiros foi meu professor na universidade. Foi dos mais estimulantes, cordiais e equilibrados docentes que tive. Alguém que se respeita. 

Este seu post não me deixa indiferente, como nunca fico indiferente àquilo que ele diz e escreve.

Não é difícil perceber o que sente José António Barreiros. Existem tantas situações nas nossas vidas em que sabemos a verdade e ela é escamoteada. Em que dizemos a verdade e ninguém quer ouvir. Em que quem mente se exibe sem pudor.

E na política, então, são inúmeras as tentativas de querer escrever a História sem deixar correr o tempo necessário para a isenção e o rigor. Quantas e quantas vezes nos "vendem" uma visão de certos protagonistas que não é rigorosa e que o tempo vem revelar o que  na realidade deve constar da História?

No nosso país, nos últimos anos, têm sido muitos os exemplos de falsas imagens, de deturpadas qualificações, de manipulações informativas sobre alguns dos protagonistas da nossa política. Umas na forma de idolatração, outras na forma de verdadeiros assassinatos de caracter.

Como em tudo, o tempo ajuda a resolver, ajuda a revelar, a evidenciar a verdade. Mas muitas vezes, é impossível ficar calado e deixar passar o tempo. Existem valores que são mais fortes.

Foi isso que me ensinaram na faculdade... Foi isso que José António Barreiros me ensinou.

27 de novembro de 2011

Fado


Neste dia, tão bom para Portugal, não esqueço aquela que para mim é o símbolo do fado. A alma de um povo. Nem sempre feliz, nem sempre compreendida, mas sempre digna do fado e orgulho de uma nação.

E também não esqueço quem foi o "pai" deste processo de candidatura do fado a Património Imaterial da Humanidade - Pedro Santana Lopes, foi ele que convidou Mariza e Carlos do Carmo para "embaixadores" deste projecto e iniciou o que hoje foi possível.

11 de novembro de 2011

App Club




Onde é que os estudantes de hoje podem aprender a fazer um app?

Esta é a pergunta que Thomas Suarez, um aluno do 6º ano de uma escola de Los Angeles, perguntou a si mesmo depois de perceber que a maioria de seus colegas gostam de jogar jogos e usar aplicativos, mas as escolas onde estudam não ensinam as técnicas de programação básicas necessárias para fazer esses jogos e aplicativos.

Assim, Suarez, que aprendeu sozinho a fazer aplicativos usando o iPhone, decidiu começar um clube de apps na sua escola.

Suarez, que sempre foi um apaixonado por informática e já sabe com 11 anos diversas linguagens de programação, explicou numa conferência TEDx que os alunos do seu clube app, depois de terem perguntado aos professores da escola que tipos de aplicativos poderiam usar na sala de aula, decidiram criar eles próprios esses aplicativos.

Seria fantástico que esta ideia vingasse e mais crianças pudessem passar de utilizadores de aplicativos para criadores de aplicativos, aprendendo, de um modo prático e divertido, a resolver problemas e conceitos básicos de programação e a criar.
Conheço um de 8 anos que, de certo, quereria pertencer a este clube.

7 de novembro de 2011

I want one

 
"The cabin is five hundred square feet and is a private writers retreat and guest cottage.  Located on San Juan Island, Washington, the owners wanted the cabin to feel contacted to its setting, the climate, the wildlife and views. They also needed a structure that could be easily secured when not in use.

The cabin was designed as a glass house surrounded by three wooden slat decks that can be raised by a hydraulic system of wires, rope, pivoting sheaves and lead blocks, that serves as shutters.  When open, the shutter decks are outdoor living spaces; when closed they secure the cabin.  The fireplace rotates 180 degrees to be enjoyed indoors or out.  An inverted roof with deep overhangs forces water to  drain to the rear of the cabin.

The cabin is a single room with a small kitchenette and a bathroom.  Finishes are restrained, punctuated only by a blackened steel inlay that bisects the floor from the fireplace to the slot window at the rear of the cabin."
 
 

20 de outubro de 2011

Resultados

Uma das propostas que está em cima da mesa em Chicago, nos Estados Unidos, é a cobrança de uma taxa extra  de 2 dólares designada por congestion fee”  para todos os que quiserem estacionar no centro da cidade, destinando-se essa taxa especificamente a contribuir para a construção da nova estação de comboios e a nova linha de autocarros rápidos da cidade.

Essa taxa será adicional relativamente à existente. Prevendo-se que totalize 28 milhões de dólares. 

Numa altura em que falamos de tantas taxas extras e tantos impostos extra, bem como de menos deduções e menos privilégios, esta proposta apresentada pelo Mayor de Chicago e que será votada em breve, é um bom exemplo de aplicação de receitas e de apresentação de resultados pré-definidos.

Dir-se-à que devia ser sempre assim. Pois devia, mas não é.
Em Lisboa, a EMEL (a quem cabe gerir o estacionamento na capital) aumentou as tarifas de uma forma brutal, taxando as chamadas zonas vermelhas com valores elevadíssimos. Em teoria até se percebe. Menos transito no cento da cidade, menos poluição, melhor qualidade do ar, melhor qualidade de vida.

Segundo o relatório e contas de 2010 da EMEL, os lisboetas pagaram o ano passado um total de 23 milhões de euros - mais 16,8% que em 2009 - à conta de parques e lugares de estacionamento que a empresa gere.

Não obstante esse aumento, o passivo da empresa é de quase 27 milhões de euros, tendo mesmo aumentado 3,3 milhões face ao ano anterior. E à semelhança do que acontece em tantos outros casos, também a EMEL gastou 7,8 milhões de euros em salários e outras despesas com pessoal, o que representa um aumento de 8,2% em relação a 2009. 

Ou seja, não só não há aplicação concreta das taxas cobradas em projectos que melhorem a cidade e a vida dos cidadãos, como essas taxas se destinam a suportar a "máquina".E no meio disto nem sequer se pode dizer que o transito esteja melhor.
Dito de outra forma não há resultados. Nenhuns.

18 de outubro de 2011

Scars and Glasses

The slammin' doors, then tail lights fade
No you don't have to ask me
I'll stay
More a state of bodily art
Than actual heart-to-heart

And now, my strongest force of habit
My favourite game, my wrecking ball is you
So why stay clear?
And your frozen words, my heart attack
The sleepless nights our lips cracked
I don't mind
When you're all here

Tomorrow came, and then went again
Left scars and glasses and a little
Change of name
And the world I see now is open wide
For anything that's true to you



14 de outubro de 2011

That's life!

Por uma coincidência astral, a OCDE lançou ontem um relatório intitulado How’s Life? Measuring well-being, que apresenta um retrato dos países baseado num "indicador de felicidade”. 

How’s Life? considera a avaliação de onze factores: rendimento, saúde, ambiente, sentido de comunidade, habitação, segurança, emprego, educação, governo, equilíbrio entre vida profissional e vida familiar, satisfação geral. 

Nós, os portugueses, ficamos em 38º lugar entre 40 países, depois de nós só os chineses e os húngaros, e, sem grandes surpresas, revelamo-nos infelizes, desconfiados, endividados, desempregados ou ganhando pouco e com pouco tempo para o convívio com os amigos.

Nem podia ser de outra forma, ou talvez ainda pudesse ser pior... é que ainda não sabíamos que aqueles que tiveram por missão zelar por nós e gerir o nosso país nos enganaram e enganaram a quem pediram ajuda e que o desvio na execução orçamental de 2011 face ao que estava previsto no memorando com a troika será superior a 3000 milhões de euros.

Pois é, e sem apurar responsabilidades a ninguém!

That's life! 

6 de outubro de 2011

Think Different


pensar diferentemente,
criar incansavelmente novos símbolos e novas referências,
ser inovador, corajoso, confiante, criativo,
fazer com que a vida seja mais interessante, global, ligada e divertida.

28 de setembro de 2011

Mármore

Andrea del Verrocchio
Detalhe do Busto de uma Jovem Mulher, 1480’s
Museo del Nazionale del Bargello, Florence 

27 de setembro de 2011

13h30



Numa das melhores esplanadas de Lisboa, bebo um copo de vinho branco 
e como umas ostras a saber a mar.
À minha frente, dois homens conversam, fumando.
Mais atrás, uma mulher elegante, magra, folheia uma revista.
Reparo nos seus sapatos. Perfeitos.
Ouve-se uma musica.
Pego no iphone, ligo o Shazam, em segundos percebo que é "The Last Poem",
de Sophie Auster, clico no I-tunes, compro a música e ouço-a.
Esqueço tudo. Há coisas fascinantes na vida.


Escadas de caracol


gosto de escadas de caracol,
em espiral
num pequeno espaço conseguimos atravessar, subir, passar
de um lado para o outro
seja onde for
são íngremes, perigosas, até, 
um desafio que sabe bem ultrapassar

as de ferro são as minhas preferidas

21 de setembro de 2011

O estado do Estado

Listagem das entidades extintas/fundidas no âmbito do Plano de Redução e Melhoria da Administração Central (PREMAC)

MAI
Controlador financeiro
Unidade de Tecnologias de Informação de Segurança
Estrutura de Missão para a Gestão dos Fundos Comunitários
Governo Civil - Aveiro
Governo Civil - Beja
Governo Civil - Braga
Governo Civil - Bragança
Governo Civil - Castelo Branco
Governo Civil - Coimbra
Governo Civil - Évora
Governo Civil - Faro
Governo Civil - Guarda
Governo Civil - Leiria
Governo Civil - Lisboa
Governo Civil - Portalegre
Governo Civil - Porto
Governo Civil - Santarém
Governo Civil - Setúbal
Governo Civil - Viana do Castelo
Governo Civil - Vila Real
Governo Civil - Viseu

MAMAOT
Agência Portuguesa do Ambiente
Autoridade Florestal Nacional
Departamento de Prospectiva e Planeamento e Relações Internacionais
Direcção-Geral das Pescas e Aquicultura
Direcção-Geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano
Instituto Geográfico Português
Controlador financeiro MAOT
Controlador financeiro MARDP


MINISTÉRIO DAS FINANÇAS
Autoridade de Gestão do PROMAR
Centro Internacional da Luta contra a Poluição Marítima do Atlântico Norte
Centro para a prevenção da poluição
Comissão para as Alterações Climáticas
Programa de Desenvolvimento Rural do Continente
Programa de Rede Rural Nacional
Programa Polis - Programa de Requalificação Urbana e Valorização Ambiental das Cidades
Estratégia Nacional para os Efluentes Agro-pecuários e Agro-industriais
Inspecção-Geral da Agricultura e Pescas
Inspecção-Geral do Ambiente e do Ordenamento do Território
Administração da Região Hidrográfica do Alentejo, I. P.
Administração da Região Hidrográfica do Algarve, I. P.
Administração da Região Hidrográfica do Centro, I. P.
Administração da Região Hidrográfica do Norte, I. P.
Administração da Região Hidrográfica do Tejo, I. P.
Instituto da Água, I. P.
Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, I. P.
Comité Executivo para as Alterações Climáticas
Conselho Consultivo para a Fitossanidade Florestal
Comissão de Acompanhamento do Licenciamento das Explorações Pecuárias
Comissão para a Internacionalização
Comissão de Acompanhamento da Gestão de Resíduos
Secretaria-Geral do Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas
Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território

MDN
Controlador financeiro

MEC
Direcção Regional de Educação do Algarve
Direcção Regional de Educação do Centro
Direcção Regional de Educação do Norte
Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo
Direcção Regional de Educação do Alentejo

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS
GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular
Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação
Gabinete de Gestão Financeira
Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais
Controlador financeiro
Controlador financeiro MCTES
Controlador financeiro ME
Gabinete Coordenador da Rede Bibliotecas Escolares
Gabinete Coordenador da Segurança Escolar
Gabinete Coordenador do Sistema de Informação do Ministério da Educação
Observatório das políticas locais da educação
Plano Nacional de Leitura
Inspecção-Geral da Educação
Inspecção-Geral do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
Instituto de Meteorologia, I. P.
UMIC - Agência para a Sociedade do Conhecimento, I. P.
Conselho científico para a avaliação de professores
Secretaria-Geral do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
Secretaria-Geral do Ministério da Educação

MEE
Direcção Regional da Economia de Lisboa e Vale do Tejo
Direcção Regional da Economia do Alentejo
Direcção Regional da Economia do Algarve
Direcção Regional da Economia do Centro
Direcção Regional do Norte
Gabinete de Planeamento Estratégico e Relações Internacionais
Entidade Gestora das Reservas Estratégicas de Produtos Petrolíferos, E.P.E.
Comissão de Aplicação de Coimas em Matéria Económica e de Publicidade
Comissão Permanente de Contrapartidas
Controlador financeiro MEID
Controlador financeiro MOPTC
FAI

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS
GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Inspecção-Geral das Obras Públicas, Transportes e Comunicações
Instituto das Infra-Estruturas Rodoviárias, I. P.
Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos, I. P.
Comissão de Planeamento de Emergência das Comunicações
Comissão de Planeamento de Emergência do Transporte Aéreo
Comissão de Planeamento de Emergência do Transporte Marítimo
Comissão de Planeamento de Emergência dos Transportes Terrestres
Comissão de Planeamento Energético de Emergência
Comissão de Planeamento Industrial de Emergência
Comissão de Segurança de Serviços e Bens de Consumo
Conselho Consultivo das Obras Públicas, Transportes e Comunicações
Secretaria-Geral do Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comum.

MF
Direcção-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo
Direcção-Geral de Informática e Apoio aos Serviços Tributários e Aduaneiros
Direcção-Geral dos Impostos
Instituto de Informática
Agência Nacional de Compras Públicas, E. P. E.
Empresa de Gestão Partilhada de Recursos da Administração Pública, E. P. E.
Controlador financeiro
Comissão de Acompanhamento das Reprivatizações
Instituto Nacional de Administração, I. P.
Conselho de Garantias Financeiras à Exportação e ao Investimento
Conselho Superior de Finanças

MJ
Direcção-Geral de Reinserção Social
Direcção-Geral dos Serviços Prisionais
Controlador financeiro
Gabinete para a Resolução Alternativa de Litígios

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS
GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Instituto das Tecnologias de Informação na Justiça, I. P.
Instituto de Gestão Financeira e de Infra-Estruturas da Justiça, I. P.

MNE
Comissão Interministerial de Limites e Bacias Hidrográficas Luso-Espanholas
Comissão Nacional da Unesco
Controlador financeiro

MS
Alto Comissariado da Saúde
Autoridade para os Serviços de Sangue e da Transplantação
Controlador financeiro
Coordenação Nacional Doenças Oncológicas
Coordenação Nacional Doenças Cardiovasculares
Coordenação Nacional Saúde Mental
Coordenação Nacional VIH/SIDA
Unidade de Missão para os Cuidados Continuados Integrados
Instituto da Droga e da Toxicodependência, I. P.

MSSS
Caixas de Previdência Cimentos
Caixas de Previdência CRGE
Caixas de Previdência EPAL
Caixas de Previdência jornalistas
Caixas de Previdência TLP
Controlador financeiro
Plano Nacional de Acção para a Inclusão (PNAI)
Programa para a Inclusão e Cidadania
Comissão de Gestão do Programa de Apoio a Idosos
Comissão Nacional do Rendimento Social de Inserção
Comissão para a promoção de Políticas de Família
Conselho Consultivo das Famílias
Conselho Nacional de Segurança Social
Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS
GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Conselho Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas c/ Deficiência

PCM
Gabinete de Estudos, Planeamento e Avaliação
Controlador financeiro
Unidade para a participação política e cívica
Inspecção-Geral da Administração Local

PCM/MAAP
Instituto do Desporto de Portugal, I. P.
Instituto Português da Juventude, I.P.
Fundação para as tecnologias de Informação
Movijovem - Mobilidade Juvenil

PCM/SEC
Direcção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo
Direcção-Geral de Arquivos
Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas
Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais
Controlador financeiro MC
Organismo de Produção Artística, E. P. E.
Teatro Nacional D. Maria II, E. P. E.
Teatro Nacional de S. João, E. P. E.
Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, I. P.
Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, I. P.
Instituto dos Museus e da Conservação , I. P.
Secretaria-Geral do Ministério da Cultura
Agência Nacional para a Gestão do Programa Aprendizagem ao Longo da Vida
Instituto de Gestão do Fundo Social Europeu, I. P.

Total de entidades extintas/fundidas no âmbito do PREMAC - 168


5. Listagem das entidades criadas no âmbito do PREMAC

MAMAOT
Agência Portuguesa para o Ambiente, Água e Acção Climática
Direcção-Geral da Conservação da Natureza e Florestas
Direcção-Geral de Ordenamento do Território e Cartografia
Direcção Geral de Política do Mar
Direcção Geral de Recursos Naturais e Serviços Marítimos
Autoridade Única de gestão dos programas para a agricultura
Inspecção-Geral da Agricultura, Pescas, Ambiente e Orden.do Território
Instituto Português do Mar e da Atmosfera, IP
Secretaria-Geral do MAMAOT

MEC
Direcção Geral da Educação
Direcção Geral de Estatísticas da Educação e da Ciência
Direcção Geral de Planeamento e Gestão Financeira
Inspecção-Geral da Educação e Ciência
Secretaria Geral do Ministério da Educação e da Ciência

MF
Direcção Geral de Qualificação do Emprego Público
Entidade de Serviços Partilhados da AP, IP

MJ
Direcção-Geral dos Serviços Prisionais e Reinserção Social
Instituto de Gestão do Ministério da Justiça

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS
GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

MS
Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e Dependências

MSSS
Conselho Nacional para as Políticas de Solidariedade, Voluntariado, Família, Reabilitação e Segurança Social

PCM/MAAP
Instituto Português do desporto e juventude, I.P

PCM/SEC
DGLAB Direcção Geral do Livro. Arquivos e Biblioteca
DGPC Direcção Geral do Património Cultural
GEPAC Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais

Total de entidades criadas no âmbito do PREMAC - 26




Estas listagens têm coisas absolutamente surreais.
Faz impressão o estado a que chegou o Estado.
E ainda há a história da Madeira, em que afinal, a ocultação de despesas foi intencional.

13 de setembro de 2011

Dúvida

 Projecto da ponte que ligará as Torres de Lisboa a Telheiras


Tenho-me abstido de comentar os projectos (e a falta deles) para Lisboa. 

Mas não consigo deixar de me interrogar se este projecto, que me parece útil e interessante, será conciliável com a chamada Porta Sul que liga o Campo Grande à Alta de Lisboa. E porque razão aquele foi metido na gaveta e este avança.

Ainda sobre a Alta de Lisboa:conheço isto de qualquer lado...

O que, dois anos depois, me deixa feliz.

4 de setembro de 2011

Razões para rir?




Dominique Strauss-Kahn saiu, sorridente, do apartamento alugado no bairro nova-iorquino de Tribeca e regressou a França, onde foi recebido como um herói, depois do juiz retirar todas as acusações de agressão sexual e tentativa de violação, por falta de credibilidade da suposta vítima, uma empregada de hotel, Nafissatou Diallo.

No entanto, a vitima numa entrevista à Newsweek e à ABC News contou que Strauss-Kahn a agarrou e atacou "como um louco", enquanto ela lhe implorava que parasse. 

Provavelmente nunca se saberá quem diz a verdade. Se houve, ou não, tentativa de violação.

E essa é mesmo a questão. Não houve uma absolvição, nem sequer um arquivamento por inexistência de crime e sim por falta de credibilidade da suposta vitima.

O confronto era, obviamente, difícil. Um poderoso político internacional de um lado e uma empregada de hotel africana, do outro. Ganhou o poder.

Mas será que se fez Justiça. Não creio.

Sobretudo porque não ficou esclarecido se este homem que ri é, ou não, um tarado sexual que não resiste a impulsos sexuais, quando vê uma bela mulher. Tanto mais, que existem outras acusações idênticas no passado deste político.

Mas a grande questão é saber se a vida privada de uma pessoa é relevante para a sua carreira política. Se as aventuras amorosas de um político são do interesse público. São múltiplos os casos em que a vida pessoal e sentimental de políticos é objecto de interesse jornalístico e de curiosidade da opinião pública em geral.

O meu entendimento é que a vida pessoal de um político só é relevante se existir a suspeita ou a efectivação de um crime. Caso contrário, não. Caso contrário é "coscuvilhice".

Ora, neste caso existe essa suspeita. Não percebo, por isso, porque ri Strauss-Kahn. E porque razão foi recebido em França como um herói. E porque foi tolerado e poupado por grande parte da imprensa.

Todos conhecemos outros casos em que não existe essa tolerância. Muitos outros casos.

Parece ter sido mesmo a vitória do poder. De um certo poder, que nos comanda e com o qual temos de conviver nestes tempos modernos. 

É a vitória de um jornalismo partidarizado, parcial e pouco isento.

É um tempo em que a Justiça toma formas muitas vezes impensáveis e incompreensíveis. 

Não penso que faça sentido rir.

31 de agosto de 2011

MM


Retalho


Os dados relativos ao mês de Julho divulgados pelo INE para o comércio a retalho revelam que as vendas caíram 4,1% face ao nível registado em Julho de 2011 e as vendas de produtos não alimentares caíram 7,7%
Ou seja, a média dos últimos 12 meses das vendas a retalho de produtos não alimentares situa-se no nível mais baixo desde o ano de 2000.
É esta a situação do país. É esta a situação que anos de políticas absurdas conduziram um dos sectores mais importantes de qualquer economia. 
São urgentes incentivos, isenções, desburocratização. E sobretudo conhecimento, inovação, confiança e bom senso.  

18 de agosto de 2011

Tanto


Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Moraes, "Antologia Poética", Editora do Autor, Rio de Janeiro, 1960, pág. 96.

15 de agosto de 2011

O melhor banho





Entrámos na água fria. Sorrisos. Aventurámo-nos. Poucos se atreviam naquele momento.
Ao fim de uns minutos, enfrentámos as ondas. Grandes. Fortes. Transparentes. Salgadas. Demos a mão. Mergulhámos. Caímos os dois. Levantámo-nos e mergulhámos de novo. E de novo. E de novo.

Olhámo-nos como se tudo, o muito que nos une, se resumisse áquele momento.

Depois de um Verão em que a praia nos acompanhava, este era o melhor dos banhos. Na praia de que tanto gostamos. O Guincho. Naquele mar único. Cúmplice. Os dois praticamente sozinhos. Aventureiros destemidos.

Separam-nos 36 anos, mas naquele momento éramos da mesma idade. Tudo nos unia. Uma cumplicidade única, uma amizade imensa, um amor profundo, uma semelhança evidente. E sentimos os dois que aquele banho de meia hora significava muito para nós, tanto. Tanto.

Foi o melhor banho deste Verão. Nunca o vou esquecer.

Acho que o António também não.

22 de julho de 2011

...



Rita Hayworth & Orson Welles
A Dama de Xangai (1947)

What was the Hollywood reaction generally to "The Lady From Shanghai"?

Orson Welles: Friends avoided me. Whenever it was mentioned, people would clear their throats and change the subject very quickly out of consideration for my feelings. I only found out that it was considered a good picture when I got to Europe. The first nice thing I ever heard about it from an American was from Truman Capote. One night in Sicily, he quoted whole pages of dialogue word for word.

This Is Orson Welles

21 de julho de 2011

coisas da vida




a meio de um dia, ouvir o nosso filho tocar concentrado, coordenado, feliz 
e ficar muito feliz

15 de julho de 2011

11 de julho de 2011

Não sou de desejar coisas dos outros, mas isto tem qualquer coisa





Aqui há mais fotos desta tentadora casa em Palmela

Poderosamente Criativo

.


.

Nota Negativa

A reacção à notação atribuída pela Moody's à dívida pública portuguesa faz lembrar a daqueles alunos que depois de prestarem provas de exame medíocres ficam indignados com a  nota atribuída. Vêm dizer que lhes deveriam ter dado mais tempo para estudarem, que estão a ser objecto de perseguição, que a escola é má, que o sistema de ensino é péssimo, que não lhes dão condições para terem bons resultados, etc. Naturalmente que eles  "ilustres e brilhantes alunos" não têm qualquer responsabilidade pelo fraco resultado que tiveram. A culpa é do "sistema", daquelas e de outras razões. Quem não conhece o "filme"?

As reacções dos portugueses em geral e sobretudo dos mais altos responsáveis do  país à decisão da Moody's foram, muito parecidas e foram bastante precipitadas e emotivas. A notação da Moody's de que o investimento em títulos da dívida pública portuguesa é de carácter especulativo pode ser exagerada, mas não deixa de ter fundamentos.Que toda a gente conhece. Mas a emoção falou mais alto...

A verdade é que Portugal não cresce há 11 anos. Em 11 anos a dívida pública portuguesa duplicou, rondando hoje os 100% do PIB. A dívida externa ronda  já os 110% do PIB,. O país nos últimos anos não tem parado de viver acima das suas possibilidades, entrando numa espiral de endividamento  completamente irresponsável.

E o que tem feito o Estado Português nestes dez anos? 
Aumentado sempre os impostos,  ou seja, indo buscar ao mais fácil, que é a receita, sem nunca cortar na despesa. Em 2000 a taxa máxima de IVA era de 17%. Hoje é de 23%. Em 2000 a taxa máxima de IRS era de 40%. Hoje é de 46,5%. O peso dos impostos é absolutamente esmagador para a competitividade portuguesa.

Apesar desta permanente subida de impostos, o Estado, mesmo assim, ainda teve sempre que ir procurar receitas extraordinárias para cumprir o défice imposto por Bruxelas: aquisição do Fundo de Pensões da CGD, transferência do Fundo de Pensões da PT e outras medidas tais.

E quando se esperava um caminho novo, com um Governo novo, o que se teve foi: um imposto extraordinário por altura do Natal, para ser mais doce.

Perante isto, como é que é possível alguém se espantar por haver uma agência de rating que coloca o risco de default de Portugal como uma fortíssima probalidade?

Haja humildade. E bom senso. E corte-se na despesa. Já!