26 de novembro de 2012

Medo



Na entrevista que Henrique Cymerman - correspondente da SIC em Israel - concede esta semana à Notícias TV,  pode ler-se: " Tenho medo de voltar a ter medo". 
 
A frase é dita considerando o actual momento que se  vive em Israel, em que há acções militares intensas e de imprevisíveis consequências com a Palestina.
 
Por razões completamente diferentes, nomeadamente, pela pressão psicológica que alastra na sociedade, fruto de diversas circunstâncias como a crise, a falta de emprego, a falta de valores, a colocação em lugares chave de pessoas impreparadas, que abalam a confiança e prejudicam o Estado, vive-se em Portugal um sentimento generalizado de insegurança que provoca medo. Não da guerra. Mas medo de não conseguir resistir e prosseguir. 
 
Há muita falta de emprego. As reformas, depois de uma vida de trabalho, estão postas em causa, há empresas a fechar, lojas que não conseguem aguentar o peso do aumento dos impostos e da recessão no consumo. Jovens a sair do país em busca do futuro. Falta de ética nas relações humanas e laborais.
 
Por tudo isto, há cada vez mais angústia, mais pressão e mais medo. Medo do que pode acontecer, medo de ter medo.
 
Mas tal como  Henrique Cymerman, que optou por estudar e viver em Israel desde os 16 anos, apesar de ter nascido no Porto e ter raízes judaicas de um pai português e de uma mãe espanhola, também em Portugal se consegue ultrapassar o medo, a saudade, o fado. E com determinação, confiança, muito trabalho e muita coragem, passam-se cabos bojadores, tornado-os da boa esperança.