23 de setembro de 2014

Há coisas que não mudam.



As "Expos" acontecem, desde 1851, de 5 em 5 anos numa cidade do mundo, constituindo, depois do Campeonato do Mundo de Futebol e dos Jogos Olimpicos, o terceiro maior evento mediático à escala planetária.

A próxima Exposição (expo2015) é em Milão e o tema é muito actual e abrangente: "Nutrir o planeta, energia para a vida" e inclui tudo o que diz respeito a alimentação, do problema da falta de alimentos em algumas zonas do mundo à educação alimentar, até os temas ligados aos alimentos geneticamente modificados.

Serão apresentadas tecnologias, inovações, culturas e tradições ligadas ao setor da alimentação e, claro, muita culinária.

Naturalmente, a atenção à sustentabilidade e às energias renováveis vai marcar a arquitectura dos pavilhões, muitos já em construção.

Milão espera mais de 20 milhões de visitantes e centenas de países. Angola, Moçambique, Brasil, Espanha e mais de 100 países já confirmaram, a um ano de antecedência, a sua presença e já estão no terreno.

Por cá nada. Não há ecos da escolha do sub tema, da equipa, se há ou não há mesmo pavilhão, dos objetivos, da recolha de apoios e parceiros. Nada.

Surpreendente? Talvez não.

Infelizmente, parece ser o mesmo de sempre. Deixar para a última da hora e depois esperar que a nossa capacidade de improvisação, o desenrascanço habitual, resolva a situação. Planeamento? Não...

Realmente, há coisas que não mudam.


Sem comentários: